Meros

Eu e meu brother Eduardo Sanches passamos uns 2 meses trabalhando em alguns sons diferentes, juntando ukulele, pandeiro e udu. E hoje, quero compartilhar o resultado disso com vocês: duas das mais belas canções já feitas pela humanidade! ;)

Sou, sim…” e “Que Isso Tudo Nunca Acabe” são simples, não tem produção alguma, mas marcaram um período incrível da minha vida. Não dá pra deixá-las mofando no meu computador!

Mais infos na página do projeto Meros.

Melhores de 2014

As listas de melhores do ano são comuns durante esses últimos dias de dezembro. A minha lista vai para a sua segunda edição, portanto já começa a virar tradição!

Melhores Discos Internacionais:
1º) Royal Blood – Royal Blood
2º) Mastodon – Once More ‘Round The Sun
3º) Closure in Moscow – Pink Lemonade
4º) Antemasque – Antemasque
5º) Damon Albarn – Everyday Robots
Melhores Discos Nacionais:
1º) Garden of the Eeatingtapes – Twist of Fate
2º) Krucipha – Hindsight Square One
3º) Far From Alaska – ModeHuman
4º) LaVolta – Escape
5º) Sugar Kane – Ignorância Pluralística
Melhor Canção:
1º) Royal Blood – Out of the Black
2º) Garden of the Eatingtapes – Toxic Mermaid
3º) Mastodon – High Road
4º) Chevelle – One Ocean
5º) Damon Albarn – You & Me
6º) ††† (Crosses) – Option
7º) Killer be Killed – Face Down
8º) Linkin Park – Hunting Party
9º) Slipknot – Skeptic
10º) Jack White – Lazaretto

Essência

“Essência” é a minha mais audaciosa composição, até o momento. Não por mera coincidência, trabalhei nela por mais de dois anos, ela chegou a ter uma letra e voz, mas acabou uma faixa instrumental, do jeito mais “essencial” que poderia ser!

Coloque seus fones de ouvido e dedique 7 minutos para tentar sentir o que eu sinto quando ouço as guitarras, o baixo, o ukulele, a bateria e os sintetizadores da faixa, todos gravados por mim mesmo no meu home-studio.

Músicas que eu gostaria de ter feito #2

Vocês conhecem Karnivool? Hoje, no segundo “Músicas que eu gostaria de ter feito”, trago a banda que mais me influenciou nos últimos 4 anos, e dois sons que eu realmente tenho raiva por não ter escrito com os caras!

Microfone

As duas músicas são as protagonistas do segundo CD do Karnivool, chamado Sound Awake. Esse disco (eu preciso falar dele) seria um dos meus escolhidos se eu fosse para uma ilha deserta e pudesse levar apenas 3 álbuns comigo!

Karnivool – New Day

Dinâmica e mais dinâmica! O som que me inspirou a criar a estrutura para Flow, por ser o exemplo de uma banda que não tem pressa para contar sua história e guiar o ouvinte pelas sensações que eles querem passar. É incrível como os mais de 8 minutos dessa canção passam rápido, pois vamos prestando atenção na entrada dos instrumentos, nas explosões de energia e peso, seguidas de estrofes de baixa intensidade e dinâmica suave. Os caras fazem uma música épica sem nenhum solo de guitarra convencional, usando apenas variações de um tema que vem sendo construído ao longo da faixa e de forma muito coerente, sem quebras ou inversões não harmônicas.

 

Cada vez que ouço a faixa, percebo uma sutileza na levada da bateria, uma brincadeira na cadência de baixo e guitarra, o refinamento dos acordes e o contraste de peso/suavidade das guitarras, a beleza da voz limpa e intensa. É uma obra prima, que sozinha já justificaria o disco! Vale botar o fone de ouvido bem alto e deixar a mente ser levada pela banda.

Karnivool – Deadman

Tudo o que eu disse para a música anterior vale para essa, com a diferença de que essa é uma música mais técnica e a New Day prima pelo foco na fluidez e na pegada.

Difícil lembrar de outro som que tenha uma estrutura mais trabalhada do que essa. A música vem se relevando com calma, sem a “pressão comercial” que faz tudo se resolver em 4 minutos para poder ser tocada em rádio. Afinal, estamos falando de uma obra de 12 minutos, na qual a banda consegue (novamente) distorcer a noção de passagem do tempo, fazendo a música começar e acabar sem que a gente se dê conta!

 

Progressivo e alternativo, mas fazendo os dois na medida certa. Essa é a definição que eu tenho para o som do Karnivool, que é um dos expoentes do novo rock australiano. Aliás, pelo menos para mim, a Austrália é hoje o maior celeiro de novos talentos do rock no mundo, assim como Seattle foi na década de 80 e que Londres foi nos anos 60.

Da galera “aussie”, eu recomendaria Karnivool (que lançou um dos melhores discos do ano passado, ao menos na minha lista), Birds of Tokyo (banda paralela do vocalista do Karnivool, Ian Kenny), Dead Letter Circus, Closure in Moscow, Cog, Twelve Foot Ninja, Floating Me (com o baixista do Karnivool).

Arte para Essência

Helder Filipov - Essência

Helder Filipov – Essência

E, finalmente, a arte da capa da Essência!

Esse trabalho genial foi, mais uma vez, feito por um artista que admiro e acompanho há um tempo. Brian Luong é um ilustrador californiano, e topou na hora quando propus de utilizar uma de suas artes como capa de um de meus singles.  

Essência tem o peso, a dualidade, o aspecto sombrio e obscuro que a imagem traz, mas ao mesmo tempo brinca com a pureza e a energia em várias passagens. Não consigo pensar em uma capa mais adequada para o meu novo som, e nem para um som mais adequado para essa imagem!

Mais sobre o trabalho de Luong:
http://artofbrianluong.com/
http://artofbrianluong.com/Love-for-Life
http://society6.com/brianluong

Lista de Melhores de 2013

Antes de entrar de cabeça em 2014, gostaria de fazer um saldo geral do ano e listar o que de mais interessante escutei em 2013. Vamos aos lançamentos “premiados”:

Discos Internacionais:
1º) Queens of the Stone Age – …Like Clockwork
2º) Atoms For Peace – Amok
3º) Arctic Monkeys – AM
4º) Karnivool – Asymmetry
5º) O’Brother – Disillusion

Discos Nacionais:
1º) Apanhador Só – Antes que tu conte outra
2º) Machete Bomb – O Samba do Sul 
3º) Rodrigo Amarante – Cavalo
4º) Scalene – Real/Surreal
5º) A Banda Mais Bonita da Cidade – O Mais Feliz da Vida

Melhor Canção:
1º) Queens of the Stone Age – Smooth Sailing
2º) Karnivool – Alpha Omega
3º) Local Natives – Three Months
4º) Scalene – Danse Macabre
5º) Arctic Monkeys – R U Mine
6º) Queens of the Stone Age – I Appear Missing
7º) Birds of Tokyo – The Others
8º) Alice in Chains – Stone
9º) Pearl Jam – Lightning Bolt
10º) Rodrigo Amarante – Tardei